Este domínio está à venda. This domain is for sale.

Faça uma oferta em baixo. Make an offer below.

Feedback

Inclua um contacto de e-mail se pretender ser contactado. Please include your e-mail contact information if you'd like to receive a reply.

Enviar
Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.famalicao.com Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad http://www.famalicao.com/_fiambre_de_leguminosas_e_desafio_para_industriais </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=103666&h=0c145" width="303px" height="202px" border="0"/></p> Criar fiambre a partir de leguminosas. O inovador e criativo desafio foi lançado na conferência promovida pela Câmara Municipal de Famalicão, através da Equipa Multidisciplinar do Parque da Devesa, para assinalar este Ano Internacional das Leguminosas, declarado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Sensibilizar para os benefícios nutricionais das leguminosas, dar a conhecer o impacto positivo que têm na segurança alimentar e na redução da fome à escala mundial e abordar o seu importante papel na agricultura, no ambiente e na gastronomia. Estes foram os principais objetivos da conferência “Leguminosas com todos” que decorreu no passado sábado, 30 de abril, e esgotou o pequeno auditório da Casa das Artes.

O repto aos industriais e empreendedores para que criem fiambre de leguminosas foi lançado pelo naturopata Ricardo Novais, um dos oradores, que focou a sua intervenção nos benefícios do consumo de leguminosas. “Dado serem uma fonte de proteína podem ser uma fator chave na redução da produção e consumo de carne, com os benefícios ambientais e para a saúde que daí advêm”, explicou.

A sessão foi aberta por Pedro Sena, Vereador do Ambiente na autarquia famalicense, que enalteceu o facto de a conferência “encarar o tema das leguminosas em várias perspetivas, desde a segurança alimentar ao ambiente, da saúde à agricultura, não esquecendo a vertente histórica e gastronómica, com um leque de conferencistas das mais diversificadas formações”.

A conferência contou ainda com as intervenções de Hélder Muteia, representante da FAO em Portugal, dos nutricionistas Cátia Borges e Nuno Borges, do naturopata Ricardo Novais, do engenheiro agrícola António Strecht, e do chef Renato Cunha.

Renato apresentou uma perspetiva gastronómica das leguminosas, deixando conselhos práticos e sugestões para a sua utilização na alimentação. Preparou, aliás, uma feijoada de cogumelos, na qual a feijoca e o shitake foram os protagonistas, que os participantes puderam apreciar.

A mensagem final foi bem clara: é preciso consumir mais, produzir mais e divulgar mais as leguminosas.
]]> http://www.famalicao.com/_atletico_voleibol_clube_enche_famalicao_de_orgulho </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=103625&h=4ea4a" width="303px" height="202px" border="0"/></p> “Um ato único, notável e exemplar”. Foi desta forma que o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, classificou ontem o mais recente título do Atlético Voleibol Clube (AVC), que no passado mês de abril se sagrou campeão nacional feminino de voleibol.

O plantel, equipa técnica e dirigentes da formação famalicense foram recebidos, esta segunda-feira, pelo executivo municipal, numa cerimónia que teve lugar no Salão Nobre do edifício dos Paços do Concelho.

Um reconhecimento público em nome de todos os famalicenses, pelo “exemplo e dedicação” das atletas, referiu Paulo Cunha, que não escondeu que viveu um dos melhores momentos enquanto presidente com a conquista deste título.

Uma homenagem, refira-se, mais do que justa, até porque ao título de campeão nacional o AVC soma ainda a conquista da Supertaça 2015 e a Taça de Portugal 2016, fazendo o pleno nesta época.

O presidente do AVC, Rui Martins, agradeceu o reconhecimento e apoio incondicional da autarquia famalicense e lembrou que os feitos conquistados nesta época resultam de um trabalho que o clube tem realizado de há uns anos para cá. “É fruto de um trabalho que é progressivo, de estabilidade”, disse.

O dirigente aproveitou ainda para deixar uma palavra de incentivo à sua equipa, dizendo que o AVC vai continuar a lutar por mais títulos nacionais.

Fundado em 1998 e com mais de duas dezenas de títulos nacionais e regionais conquistados entre escalões de formação e seniores, recorde-se que esta foi a primeira vez que o Atlético Voleibol Clube se sagrou campeão nacional, ao vencer por 3-0, a formação do Porto Vólei no quarto jogo do ‘playoff’ da I Divisão Elite, disputado no passado dia 24 de abril, no Pavilhão das Lameiras, em Vila Nova de Famalicão.
]]> http://www.famalicao.com/_uma_maratona_de_adrenalina_para_os_amantes_do_btt </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=103656&h=986b3" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Mais do que uma prova, uma grande festa do desporto. Contagem decrescente para o regresso de uma das provas de BTT mais vibrantes e entusiásticas da região Norte. A Maratona BTT de Vila Nova de Famalicão está de volta para a sua sétima edição e no próximo domingo, dia 8 de maio, promete fazer do concelho famalicense paragem obrigatória para os amantes da modalidade.

Garantida está já a presença de cerca de 700 atletas, para uma prova que se desdobrará em dois desafios: um de 70 km (maratona) e outro de, aproximadamente, 40 km (meia-maratona).

Um circuito carregado de adrenalina, que terá como epicentro o Parque da Juventude e que atravessará a paisagem natural das zonas centro e norte de Vila Nova de Famalicão, com passagem pelos caminhos rurais, estradas e trilhos de cerca de quinze freguesias do concelho.

A iniciativa, organizada pela Associação Amigos do Pedal com o apoio da autarquia, não tem qualquer caráter competitivo, contudo serão atribuídos tempos e ordem de classificação nos dois percursos, com a atribuição de prémios para os três primeiros da geral de cada categoria (masculino/feminino) e nos diversos escalões.

A prova é livre e aberta a todos os indivíduos com idade igual ou superior a 14 anos. As inscrições decorrem até ao final desta semana no site oficial da iniciativa.
]]> http://www.famalicao.com/_jornal_expresso_desmontou_sequencia_do_adn_empresarial_de_famalicao </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=103596&h=d8b55" width="304px" height="202px" border="0"/></p> "Em Famalicão exportam os que lá estão”. Foi com este título que a jornalista Margarida Cardoso do jornal Expresso abriu um extenso trabalho de reportagem sobre a capacidade produtiva e industrial de Vila Nova de Famalicão, justificando ao país e ao mundo a razão do ser do ADN empreendedor que é reconhecido ao território. Num texto de duas páginas, que ocupa as páginas centrais do caderno Economia da edição de 30 de abril deste jornal de referência nacional, a jornalista mostra as "mil e uma faces industriais de um concelho com muito para mostrar para lá dos têxteis" A força do têxtil, o peso do agroalimentar e o contingente alemão, são temas explorados ao pormenor para deixar bem claro uma vez mais ao país que este é um território de excelência, altamente competitivo, qualificado e arrojado.

A notícia, cuja versão integral está acessível online mediante utilização de código fornecido com a revista E, que acompanha o jornal, começa por enquadrar Vila Nova de Famalicão no coração do Vale do Ave, onde se impôe “como o terceiro concelho mais exportador do país. É um título a que junta a medalha de prata no saldo da balança comercial, com 804 milhões.” O desenvolvimento do texto demonstra as razões do sucesso do têxtil no território, mas deixa bem vincado que a verdadeira explicação para a competitividade do município reside numa estrutura industrial diversificada que conta com o contributo de três fileiras centrais – o têxtil, a metalurgia e o agroalimentar.

A Continental Mabor, que acaba de divulgar que em 2015 ultrapassou os 243 milhões de euros de resultado líquido, é naturalmente referenciada como um dos exemplos que fundamentam o sucesso, mas há muitas outras empresas nomeadas para fundamentar os números avassaladores de Vila Nova de Famalicão.

É o caso da Leica, Louropel, Primor, Vieira de Castro, Tiffosi, Salsa, Olbo &Mehler, ITA, Inovafil, Coindu, MFA, ICM, Porminho, Campicarn, Cup &Saucer, Aco, Tesco, CCL, PartTeam, Super 2000, Amob, e Hidrofer. Estas empresas são argumentos de peso que o Expresso utiliza para refletir a dinâmica da atividade de uma “lista de 12 mil empresas de um concelho onde não faltam exemplos de unidades a investir, exportar e crescer”

“Qualidade dos recursos humanos, da ligação às Universidades e Centros Tecnológicos e do trabalho desenvolvido por estes e da ligação existente entre empresas e autarquia e outras instituições”, são algumas das forças apontadas pelo Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha à jornalista Margarida Cardoso para que os portugueses percebam as razões de uma dinâmica empresarial e industrial única no país.
]]> http://www.famalicao.com/_famalicao_nao_aceita_que_o_governo_rasgue_contratos_de_associacao_com_escolas_do_concelho </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=103602&h=a2e43" width="304px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai tentar sensibilizar o Governo de Portugal para a importância das escolas privadas e cooperativas de ensino no concelho, demonstrando a incapacidade das escolas públicas em dar uma resposta eficiente à totalidade dos alunos famalicenses. Num documento direcionado ao Ministério da Educação e Ciência, a autarquia assume uma posição pioneira no país, liderando este processo de contestação pública no concelho. A autarquia vai também convocar de imediato uma reunião extraordinária do Conselho Municipal da Educação.

O documento tem como objetivo principal convencer o Governo de Portugal a manter os atuais contratos de associação dos estabelecimentos de ensino que compõe a Rede Local de Educação e Formação de Famalicão, garantindo aos alunos, pais e encarregados de educação o direito, constitucionalmente consagrado, de liberdade de escolha da sua educação e da sua escola. A autarquia pede, ainda, ao Governo que ouça a comunidade educativa local sobre todo o processo de reorganização educativa, nomeadamente a autarquia, o Conselho Municipal de Educação, a Rede Local de Educação e Formação e a FECAPAF – Federação Concelhia das Associações de Pais e Encarregados de Educação de Vila Nova de Famalicão.

Refira-se que esta tomada de posição surge depois da notícia avançada pela Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo (AEEP) que, após reunir com a Secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, diz ter sido "surpreendida" com a alteração das regras dos contratos de associação na sequência da publicação do novo normativo de matrículas e frequência escolar já para o próximo ano letivo.

A contestação do executivo municipal liderado por Paulo Cunha não se fez esperar. A autarquia está preocupada com o futuro de cerca de 40 por cento dos alunos dos 2.º e 3.º ciclos e secundário de Famalicão que frequentam estabelecimentos de ensino com contrato associação e com o futuro das próprias instituições educativas. “Estou muito preocupado com as consequências que esta medida trará para milhares de famílias no concelho de Famalicão. São milhares de famílias que têm os seus educados a frequentar estas escolas e que neste momento não sabem o que lhes vai acontecer”, referiu Paulo Cunha no final da sessão da Assembleia Municipal.

O autarca criticou , de forma veemente, o timing desta decisão. “Acho de uma tremenda irresponsabilidade que, às portas do mês de maio, o governo venha anunciar esta medida, numa altura em que o ano letivo está praticamente a terminar e que as famílias ficam sem saber o que vai acontecer aos seus educandos”.

Paulo Cunha acredita que a decisão não será concretizada até porque seria “mau de mais para Portugal e para esta região onde temos excelentes escolas do setor cooperativo e do setor particular que têm um excelente desempenho. São escolas com mais de 40 anos, com provas dadas com milhares e milhares de jovens e adultos formados nestas escolas”.

O documento que será apresentado ao Governo é uma ação concertada com as escolas e com a Rede Local de Educação e Formação. “As escolas estão alarmadas com esta situação, mas mais que as escolas e os professores o que mais nos preocupa são as famílias”, destacou.

Paulo Cunha referiu, ainda, que a Câmara Municipal está disponível para liderar este processo “porque para nós não há dois tipos de escolas, nós não distinguimos as escolas, todas elas integram a rede e todas elas são importantes”.

Aliás, o município de Vila Nova de Famalicão tem encetado um trabalho de proximidade e de partilha em rede, intensificado com o Programa Aproximar, valorizando o ensino das Escolas Públicas, sem desvalorizar o bom ensino que também é realizado nas escolas com contrato de associação.

O presidente da Câmara Municipal aproveitou também para deixar uma sugestão ao governo: “A melhor coisa que o governo pode fazer pela educação em Famalicão é não interferir. Fiquem fora do processo educativo em Famalicão”.

Recorde-se que as escolas em questão são as Escolas Cooperativas Didáxis de Riba de Ave e S. Cosme e o Externato Delfim Ferreira em Riba de Ave, instituições educativas que são uma referência na região e que já foram responsáveis pela formação de várias gerações de alunos. Para além destas, também a Cooperativa e Ensino Alfacoop, de Ruilhe, concelho de Braga, e o Instituto Nun'Alvres, das Caldas da Saúde, concelho de Santo Tirso, recebem alunos de Vila Nova de Famalicão e, por isso, fazem parte da Rede de Educação e Formação do concelho
]]> http://www.famalicao.com/_junta_de_freguesia_de_bairro_une_modernidade_funcionalidade_tradicao_e_memoria </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=103608&h=4b6f4" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O salão da Junta de Freguesia de Bairro foi pequeno para acolher as várias dezenas de pessoas que participaram, no passado sábado, na cerimónia de inauguração da requalificação do edifício. A casa dos bairrenses, localizada bem no centro da freguesia, “é uma casa emblemática repleta de história, memória e identidade”. “É um símbolo da freguesia”, como referiu o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha.

A cerimónia mobilizou a população e foi embelezada com a atuação do coro litúrgico da Fundação Castro Alves. O espaço que já serviu diversos fins desde escola primária, creche e sede de diversas associações, já esteve para ser demolido, mas a vontade dos bairrenses em preservar o património saiu vitoriosa e, hoje, o edifício tornou-se um ex-libris da freguesia, que une a modernidade, a funcionalidade com a tradição e a memória coletiva.
As obras que implicaram um investimento municipal de 35 mil euros incluíram a pintura interior e exterior do edifício, a substituição do telhado e da iluminação interior e exterior.

“Hoje é um dia importante para Bairro. Com esta obra preservamos este legado histórico, criando condições de conforto e de funcionalidade dos espaços”, salientou Paulo Cunha, acrescentando que o objetivo de conjugar a preservação com a modernização foi cumprido “não só nesta sede da junta, mas também em outras obras que a autarquia tem desenvolvido como no parque escolar onde as intervenções estão a ser concluídas”.

No caso de Bairro, o presidente da Câmara destacou o facto de o edifício acolher não só a sede da junta, mas estar “ao serviço da freguesia” com a existência do posto dos CTT, e de estarem criadas as condições para que ele esteja, também, ao serviço das associações locais.
“É importante ter edifícios públicos de portas abertas” afirmou, salientando que “é este espírito de comunhão que importa cultivar na comunidade”.
Paulo Cunha aproveitou ainda a oportunidade para salientar a saúde financeira do município. “A Câmara Municipal tem conseguido estar ao lado das freguesias, das associações e dos grupos informais que existem na comunidade, porque somos criteriosos no investimento público, somos uma Câmara com excelentes contas, com nível de endividamento muito baixo, que honra os seus compromissos que paga a tempo e horas e que faz investimento”, sublinhou exemplificando com os investimentos que estão a ser efetuados na rede viária, na água e saneamento e no apetrechamento de equipamentos.
Por seu lado, o presidente da Assembleia de Freguesia de Bairro, Manuel Martins realçou o ‘registo histórico’ do edifício requalificado, lembrando que ele é um dos símbolos do desenvolvimento industrial da freguesia.

Também o presidente da Junta de Freguesia, Rui Pacheco Alves, fez questão de lembrar algumas das pessoas que estiveram na linha da frente para impedir que este edifício fosse demolido. Trata-se de “um edifício que honra o passado” e serve o presente já que acolhe também o posto dos CTT.
Refira-se que a inauguração da requalificação da sede da Junta culminou a visita de trabalho do presidente da Câmara Municipal à freguesia que decorreu durante toda a manhã. No âmbito da sua política de proximidade, Paulo Cunha visitou várias obras em curso e auscultou a população sobre as necessidades mais urgentes.
]]> http://www.famalicao.com/_vencem_desemprego_e_sao_empresarios_sem_maos_a_medir </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=103615&h=2e62d" width="303px" height="202px" border="0"/></p> A história dos quatro protagonistas da empresa que hoje inscreveu o seu nome no roteiro Famalicão Made IN confirma que o desemprego pode ser uma oportunidade para mudar de vida. E que a cultura de risco e o espírito empreendedor são opções positivas.

Bruno, Carlos, Álvaro e Luís “viram a vida a andar para trás” com o fecho inesperado da empresa onde trabalhavam. “Havia trabalho dentro de portas todos os dias”, dizem.

Decidiram então vencer o desemprego e “arriscar tudo”. Criaram a lavandaria industrial de ganga LBJ Wash onde empregam outros quatro antigos colegas da falida Líderbrancura, que fechou em 2013 e também se dedicava à lavagem industrial de ganga.

Com base num forte conhecimento da carteira de clientes da antiga fábrica e do mercado, bem como no ‘know-how’ adquirido pela experiência de anos de trabalho por conta de outrem, pediram a antecipação do pagamento do subsídio de desemprego e um empréstimo ao banco.

Vestiram a farda de empresários e, com 100 mil euros, constituíram a LBJ Wash, que está instalada em Fradelos, Famalicão. “Hoje fazemos o mesmo que sempre fizeram com duas grandes diferenças: trabalhamos mais, mas para nós próprios”. Por isso, a motivação é outra e o brilho nos olhos de cada um reflete bem o que lhes vai na alma: “Um enorme orgulho e um sonho que se tornou realidade”.

A LBJ Wash, que recebeu o contributo conhecedor do Gabinete de Apoio ao Empreendedor da Câmara de Famalicão para chegar ao mercado, iniciou a atividade em junho de 2014 e em 2015 faturou 200 mil euros, fruto dos cem mil pares de calças que tratou. Para este ano a meta é chegar aos 150 mil euros e, num futuro próximo, aos 300 mil euros.

“Temos a certeza absoluta de que o que fazemos é bem feito. Sabemos que o que fazemos é o que dá o ser às calças de ganga”, dizem os quatro ‘empresários improváveis’ e que hoje dizem não ter mãos a medir para tantos pedidos e que encontram “em cada cliente um amigo”.

Paulo Cunha, que hoje visitou a empresa em mais uma jornada do roteiro Famalicão Made IN, desdobrou-se em elogios à capacidade empreendedora destes “empresários de mangas arregaçadas”. “Os quatro caíram numa situação de desemprego e, em vez de ficarem à espera que algo acontecesse, arriscaram um futuro novo, o que é notável”, observou.

O Presidente da Câmara lembrou, de resto, que a primeira razão que levou à criação do Gabinete de Apoio ao Empreendedor foi ajudar quem está desempregado a regressar ao mercado de trabalho. “Este é um magnífico exemplo do muito bom que se faz em Famalicão no apoio ao empreendedorismo e que continuaremos a apoiar no futuro”, rematou.


]]> http://www.famalicao.com/_dead_combo_regressam_em_maio_a_casa_das_artes </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=103504&h=d0806" width="186px" height="202px" border="0"/></p> É com um espetáculo inteiramente novo que no próximo dia 13 de maio os Dead Combo vão subir ao palco do grande auditório da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão. O concerto, que marca o regresso da banda portuguesa à sala de espetáculos do concelho famalicense, é um dos principais destaques da programação de maio da Casa das Artes.

Desta vez, Tó trips e Pedro Gonçalves apresentam-se em palco acompanhados por um naipe de cordas (violoncelo, viola de arco e violino), para um espetáculo que musicalmente vai desconstruir e despir as músicas dos Dead Combo para um formato acústico.

Um concerto que convida os admiradores da banda a mergulharem num imaginário único, num espetáculo que promete ser também marcante e prometedor do ponto de vista cénico.

Mas o cardápio de concertos para maio não se esgota aqui e o mês abre com a atuação de Chris Eckman. O vocalista da banda norte-americana “The Walkabouts” atua no café-concerto da Casa das Artes a 6 de maio, sexta-feira, e prepara-se para apresentar em Famalicão o seu primeiro registo a solo – “Harney County”. Na mesma sala, mas no dia 14, destaque para o concerto dos Dan Riverman, banda portuense composta por Dan Alves, Rui Materazzi, Mike Peixoto, Bruno Macedo e Jonas Araújo.

Na música destaque ainda para o fado de Ricardo Ribeiro, que atua na Casa das Artes a 21 de maio. Na bagagem, o fadista traz o seu quarto álbum de originais, “Hoje É Assim, Amanhã Não Sei”, editado pela Warner Music no início de abril. Antes do concerto, refira-se ainda que o fadista falará sobre “O sucesso da internacionalização do fado”, numa conferência marcada para as 21h00, no grande auditório.

A apresentação de “Antes que matem os elefantes” de Olga Roriz é outro dos pontos altos da programação de maio do espaço cultural famalicense. A conceituada coreógrafa portuguesa regressa a Famalicão no dia 28 de maio, com um espetáculo de dança que criou como alerta para uma reflexão coletiva sobre o conflito na Síria.

No teatro, destaque para a apresentação da peça “Coro dos Maus Alunos”. Um espetáculo de Tiago Rodrigues, coproduzido pela ACE Famalicão e a Casa das Artes, em cena no grande auditório nos dias 6 e 7 de maio.

Por fim, o cinema, que continua a ser uma das grandes apostas do espaço cultural famalicense. “A força da verdade”, “O Panda do Kung Fu 3” e “Batman VS Super-Homem: O despertar da justiça”, são algumas das propostas cinematográficas para este mês de abril.

Recorde-se que para os portadores do Cartão Quadrilátero Cultural, e em alguns casos para estudantes, o preço dos espetáculos na Casa das Artes reduz para metade. Mais informações no site oficial do espaço cultural famalicense.
]]> http://www.famalicao.com/_jovens_talentos_do_futebol_revelamse_na_taca_cocacola </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=103384&h=0458d" width="303px" height="202px" border="0"/></p> O maior torneio de futebol juvenil não-federado do país está de regresso a Vila Nova de Famalicão. A Taça Coca-Cola joga-se este domingo, dia 1 de maio, no Estádio Municipal, e promete revelar jovens talentos do futebol famalicense.

Depois do arranque no Funchal, a prova segue agora para a sua segunda etapa no concelho de Famalicão, num torneio que conta já com mais de 1000 atletas inscritos.

O pontapé de saída da prova está marcada para as 10h00, num dia que promete ser totalmente dedicado ao fairplay e à celebração do futebol com família e amigos, com muito desporto e animação.
As inscrições decorrem até dia 29, sexta-feira, e os atletas interessados em inscrever a sua equipa poderão fazê-lo através do número 218 594 122. Os jovens deverão ter entre 13 e 15 anos.

Refira-se que esta é já a 14.ª edição da prova, que volta mais uma vez a percorrer todas as regiões de Portugal. Depois desta segunda etapa, o torneio segue para Oeiras, Viseu, Ribeira Grande, Silves, com a final agendada para junho, em Setúbal, a Cidade Europeia do Desporto 2016.

O fairplay é um valor chave em toda o torneio, com a existência de um Cartão Branco para reforçar positivamente atitudes de desportivismo durante a competição, seja dos jogadores, seja junto do público.
]]> http://www.famalicao.com/_flores_trocas_animam_famalicao_de_6_a_8_de_maio </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=103367&h=dece6" width="304px" height="202px" border="0"/></p> As Flores & Trocas animam Famalicão mas só no fim de semana de 13 a 15 de maio. A previsão de mau tempo para o fim de semana próximo obrigou a organização da festa a adiar desde já a realização da iniciativa por uma semana, dada a necessidade de montagem antecipada das infraestruturas de apoio ao evento.

Os famalicenses e os visitantes terão assim que aguardar mais uns dias para desfrutarem de um evento mágico, que celebra uma tradição secular do concelho - a Feira Franca de Maio, coroando-a com toda a beleza, perfume e esplendor das flores.

A Praça D. Maria II, bem no coração da cidade, é o palco desta festa que vai reunir no total perto de uma centena de expositores. Com um programa de animação popular intenso, onde não vão faltar as concertinas e os cantares ao desafio, a festa de maio culmina com o desfile-batalha das flores.

A festa de maio é, no fundo, uma viagem no tempo para recordar costumes de outrora à boleia do artesanato, doçaria, licores e dos produtos da terra, mas também das flores que marcam a identidade e a memória coletiva de Famalicão.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “o convívio entre as flores e as trocas é acertado porque proporciona uma imagem inteira da história e das tradições do nosso concelho”.

Refira-se que a Feira das Trocas, ordenada pelo Rei D. Sancho I, em 1205, também conhecida como Feira do Burro recria algumas das maiores tradições históricas do concelho como a exposição de gado bovino, o mercado dos enchidos, com as populares tabernas e o vinho verde na malga, entre outros momentos, animados pelo ambiente festivo próprio das feiras do início do século XX. Por sua vez, a Festa da Flor tem como expoente máximo a Batalha das Flores.

Consulte aqui o programa completo
]]>