Este domínio está à venda. This domain is for sale.

Faça uma oferta em baixo. Make an offer below.

Feedback

Inclua um contacto de e-mail se pretender ser contactado. Please include your e-mail contact information if you'd like to receive a reply.

Enviar
Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.famalicao.com Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad http://www.famalicao.com/_centro_de_emprego_de_famalicao_conquista_autonomia </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=95505&h=03406" width="304px" height="202px" border="0"/></p> A atualização dos estatutos do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), publicada segunda-feira em Diário da República pela portaria n.º 191/2015 de 29 de junho, trouxe boas notícias para Famalicão. O serviço de emprego local, que até agora estava enquadrado no Centro de Emprego do Baixo Ave, conquistou autonomia e passou a incidir o seu trabalho apenas na área territorial do concelho.

O Centro de Emprego de Famalicão é mesmo a única nova entidade criada com a entrada em vigor dos novos estatutos do IEFP que, para além da autonomização de Famalicão, mudam o nome de vários centros e alteram ainda algumas áreas geográficas de intervenção.

É o caso do Centro de Emprego do Baixo Ave, que desaparece, dando origem ao Centro de Emprego de Famalicão e ao Centro de Emprego de Santo Tirso, este último incidindo a sua ação também sobre o município da Trofa.

Para o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, a decisão do Ministério das Finanças e da Solidariedade, Emprego e Segurança Social é coerente com a dimensão e força do concelho, tanto em termos demográficos como em termos de dinâmica empresarial.

“Famalicão é reconhecidamente um dos concelhos mais produtivos de Portugal, sendo mesmo o terceiro mais exportador do país e aquele que mais contribui para uma balança comercial favorável, dado o maior volume de exportações sobre as importações”, assinala o autarca, lembrando que “em Famalicão não se fala em reindustrialização porque o concelho nunca abandonou a indústria”.

Por isso, justifica Paulo Cunha, “faz todo o sentido termos um Centro de Emprego, cuja direção apenas trabalhe sobre o nosso território, articulando estratégias de empregabilidade com o município, com os empresários e com as entidades formativas”.

Recorde-se que foi precisamente neste contexto de concertação que surgiu a Academia de Formação de Famalicão do IEFP, uma nova infraestrutura formativa inaugurada na passada terça-feira, 30 de junho, em Abade de Vermoim, resultado da convergência de vontades entre o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), a Câmara Municipal, o CITEVE e um conjunto de empresas famalicenses.
]]> http://www.famalicao.com/_on_summer_fest15_promove_jovens_musicos_e_bandas_em_ascensao </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=95512&h=27b8f" width="312px" height="173px" border="0"/></p> É já no próximo dia 11 de julho que acontece em Vila Nova de Famalicão, a primeira edição do “On Summer Fest’15”, um festival de verão que apresenta jovens artistas e bandas em ascensão no panorama musical, local e nacional. A iniciativa do pelouro da Juventude do município de Famalicão, no âmbito da sua intervenção cultural e artística, pretende, acima de tudo, dar a conhecer o que de melhor se produz na região em termos musicais. O evento decorre no Parque da Juventude, a partir das 16h30, e pelo palco passam oito bandas, seis famalicenses e duas oriundas de Guimarães, que prometem animar o ambiente.

Esta primeira edição do ON SUMMER FEST’15 apresenta um cartaz eclético com nomes como Captain Boy, Paraguaii, Hot Air Balloon, The Black Wizards, Avenor, os Moços, a Mile Into Void e Grandfather’s House. Um festival para todos os gostos com a atuação de jovens músicos e bandas de reconhecido talento, com um reportório que vai desde o pop rock ao jazz, passando pelo folk, indie rock e blues.
O “On Summer Fest’15” vai agitar a tarde e noite da cidade, num ambiente quase intimista entre músicos e público. Uma combinação perfeita para todos os amantes de boa música, festivais de verão e muito animação.
Refira-se que a iniciativa insere-se nas comemorações municipais do 30.º aniversário da elevação de Famalicão a cidade que decorrem entre 7 e 11 de julho.

Consulte aqui a página do evento no facebook

]]> http://www.famalicao.com/_camara_e_iefp_lancam_academia_de_formacao_em_famalicao </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=95465&h=56d56" width="304px" height="202px" border="0"/></p> “As oportunidades de emprego não podem ser desperdiçadas”. A máxima expressa pelo Secretário de Estado do Emprego ontem na inauguração da Academia de Formação de Famalicão do IEFP reflete o principal objetivo desta nova infraestrutura formativa que nasce da convergência de vontades entre o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), a Câmara Municipal, o CITEVE e um conjunto de empresas famalicenses.

Situada na antiga escola primária de Abade de Vermoim, cujas instalações a autarquia cedeu ao IEFP, a Academia vai contribuir para a qualificação de jovens e adultos, ajudando a colmatar a falta de quadros intermédios que as empresas da região precisam.

Octávio Oliveira e Paulo Cunha foram unânimes nas palavras de elogio ao trabalho concertado entre as envolvidas em torno deste projeto formativo. “Conjugação de vontades de enorme importância para o país”, disse o governante. “Enorme convergência para um dia que representa um marco relevante para o futuro do concelho de Famalicão”, afirmou, por seu lado, o edil famalicense. Mas também o Presidente do Instituto de Emprego e Formação Profissional, Jorge Gaspar, o Presidente da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional, Gonçalo Xufre, e o Diretor do Centro de Emprego do Baixo Ave – Serviço de Emprego de Famalicão, Domingos Sousa, convergiram nesse sentido. “Este projeto nasce de baixo para cima e consegue congregar vontades de serviços públicos e empresas”, sublinhou Gaspar.

Nesta fase inicial, a Academia de Formação de Famalicão do IEFP, estrutura que integra a rede nacional de centros de formação profissional deste instituto, está vocacionada para a formação tecnológica nas áreas do têxtil e vestuário, mas num futuro próximo vai também alargar o âmbito para os sectores agroalimentar, metalúrgico e metalomecânico e de transformação de pedra.

O curso de arranque, um projeto piloto de formação base em costura, assenta numa parceria com o CITEVE que, para além de disponibilizar os meios técnicos, é também responsável pela componente pedagógica através dos seus especialistas.

Os equipamentos necessários são cedidos por sete empresas do concelho (Sonicarla Europa, Scorecode, Green Dolphin, Carluc, Têxtil Nortenha, Malhinter e Coindu), sendo também elas recetoras de estagiários para a formação em contexto de trabalho e futura contratação.

Ao IEFP cabe o recrutamento de candidatos e o financiamento da formação, enquanto que à Câmara de Famalicão compete o Processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências nas vertentes escolar, profissional ou de dupla certificação através do Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP).

O Secretário de Estado do Emprego agradeceu a todas as entidades a “atitude e disponibilidade demonstradas”, pormenorizando: “A Câmara de Famalicão tem um pensar lúcido e estratégico em relação às questões da educação e formação”.

Paulo Cunha retribuiu ao Governo de Portugal, na pessoa de Octávio Oliveira, a “confiança depositada nas instituições”. E referiu-se à Academia de Formação como um “projeto de grande importância para os famalicenses, para as empresas e para sectores relevantes da economia portuguesa”. Ou seja, enfatizou, “é a demonstração clara de que está ao nosso alcance combater o desemprego estrutural e criar condições de empregabilidade”.

Em abril de 2015, Vila Nova de Famalicão verificou uma descida acentuada da taxa de desemprego, com 7.048 desempregados inscritos, o que significa que o concelho regista um desemprego estrutural, isto é, não está diretamente associada ao contexto de crise económica que o país atravessa desde 2008.


]]> http://www.famalicao.com/_assembleia_municipal_da_luz_verde_ao_novo_pdm </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=95451&h=fb29f" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Quarenta e sete votos a favor e 13 abstenções. É este o resultado da aprovação do novo Plano Diretor Municipal (PDM) de Vila Nova de Famalicão, em Assembleia Municipal que decorreu na passada quinta-feira. Os deputados e presidentes de juntas de freguesia deram assim luz verde ao novo PDM, mostrando-se consonantes com o documento, que deverá entrar em vigor muito em breve, aguardando-se apenas a sua publicação em Diário da República. A votação favorável da Assembleia Municipal vai, de resto, de encontro à opinião da grande maioria dos famalicenses que durante o período de discussão pública se pronunciou mostrando-se de acordo com as alterações introduzidas através deste novo modelo de organização do solo.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “é muito gratificante chegar a esta fase deste longo percurso, caminhando lado a lado com a maioria dos famalicenses. Mas mais importante que isso é sentir que as pessoas estão informadas e interessadas no futuro do concelho, com responsabilidade e sentido inter-geracional”.

Refira-se que o documento final, apresentado em Assembleia Municipal incluía já as participações solicitadas pela população durante o período de discussão pública, sendo que das cerca de 400 sugestões 41 por cento foram atendidas. Estas alterações incidiram essencialmente sobre as plantas de ordenamento, condicionantes e no regulamento.

Refira-se que o novo PDM de Famalicão divide o território em 59,1 por cento de Solo Rural, 36,4 por cento de Solo Urbano e 4,5 por cento para infraestruturas. Em relação ao PDM de 1994, as áreas empresariais aumentam 60 por cento, enquanto as áreas urbanas diminuem 5,7 por cento. As áreas verdes urbanas aumentam para mais do dobro.

Paulo Cunha lembra que “a elaboração do PDM resulta de um processo complexo que demorou vários anos a desenvolver, envolvendo mais de duas dezenas de entidades locais, regionais e nacionais”.
Refira-se que durante o período de discussão pública, a autarquia pôs em marcha uma estratégia de comunicação para levar o PDM a todos os cantos do concelho e que envolveu um posto de atendimento personalizado permanente nos Paços do Concelho, atendimento personalizado temporário em cinco freguesias, debates, exposições e apresentações à população, para além de um site com todos os documentos e informações do Plano.
]]> http://www.famalicao.com/_verao_convida_ao_cinema_ao_ar_livre </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=95496&h=49d2d" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Um dos melhores programas para aproveitar as noites quentes de verão é usufruir dos espaços públicos, assistir a um bom filme ao ar livre, respirar o ar puro e relaxar. Isso mesmo propõe a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão para os meses de julho e agosto, com um vasto programa de cinema gratuito. O Parque da Devesa é o palco de excelência para a sétima arte, mas as sessões decorrem um pouco por todo o concelho.

Cinema Paraíso é o título da iniciativa promovida pelo Cineclube de Joane com a colaboração da Casa das Artes de Famalicão e apresenta nove sessões, cinco durante o mês de julho e quatro em agosto. A primeira acontece no domingo dia 12, no polo da Biblioteca de Riba de Ave, com o filme de animação “As Asas do Vento”. Segue-se na quarta-feira, dia 15, a película “Birdmam” de Alejandro González Iñárritu, no anfiteatro da Devesa. No dia 19, a tela segue até ao Parque das Camélias, em Bairro para projetar o filme de Manoel de Oliveira “Aniki Bó Bó”. O filme de animação “Os monstros das Caixas (VP)” atrai o público para a Devesa na noite do dia 22. A encerrar o mês de julho, o Largo da Junta de Freguesia de Nine apresenta “O meu nome é Alice”, de Richard Bosworth e com Julianne Moore.
Em agosto, o cinema fixa a âncora na Devesa, com sessões nos dias 5 (Kingsman: Serviços Secretos, de Matthew Vaughn), 12 (The Grand Budapest Hotel, de Wes Anderson), 19 (Os Gatos Não Têm Vertigens de António-Pedro Vasconcelos) e 26 (Magia ao Luar, de Woody Allen). Todas as sessões iniciam pelas 22h00.

Cine-esplanada sob o signo de Camilo

Entretanto, ainda durante o mês de julho, o cinema acontece também todas as sextas-feiras, pelas 21h45, em Seide S. Miguel, com a iniciativa Cine-Esplanada. O jardim da Casa de Camilo, é o palco privilegiado para as cinco sessões de cinema agendadas. Com a Casa-Museu de Camilo em frente e na envolvência da natureza, o ambiente não podia ser mais convidativo.
Pela tela irão passar alguns sucessos da sétima arte, como “Marretas Procuram-se” (dia 3); “O Juízl” (dia 10); “Que mal fiz eu a Deus” (dia 17); “Em parte Incerta” (dia 24) e o filme “Mil e uma maneiras de bater as botas”, (dia 31).

Consulte aqui toda a programação



]]> http://www.famalicao.com/_festival_internacional_de_polifonia_arranca_em_famalicao </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=95445&h=96ec7" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Vila Nova de Famalicão dá esta quinta-feira, 2 de julho, o ponto de partida para mais uma edição do Festival Internacional de Polifonia Portuguesa. A iniciativa, organizada pela Fundação Cupertino de Miranda, decorre até ao dia 12 de julho e conta com um vasto programa cultural gratuito que passará por cidades como Braga, Porto, Amarante e Coimbra.

Prosseguir a divulgação do repertório da polifonia portuguesa dos séculos XVI e XVII é um dos principais objetivos do festival, que nesta sua quinta edição conta com oito concertos, oito visitas guiadas, um sermão e ainda um seminário sobre o Barroco e a Polifonia em Portugal.

Os concertos contarão com a participação da Capella Musical Cupertino de Miranda (CMCM) e dos músicos internacionais Juan Carlos Rivera e Maurizio Croci e decorrerão em Famalicão, na Igreja de Santa Maria de Landim, no Porto, nas Igrejas de São Francisco e São Lourenço, em Braga, nas Igrejas do Bom Jesus, São Víctor e São Martinho de Tibães, em Amarante, na Igreja de São Gonçalo, e pela primeira vez, em Coimbra, na Igreja de Santa Cruz.

Destaque também para a realização do seminário “O Barroco e a Polifonia em Portugal”, que no dia 10 de julho, sexta-feira, reunirá na Reitoria da Universidade do Porto, especialistas da área da arquitetura e da música barroca em Portugal, entre os quais Nuno Vassallo e Silva, José Abreu, José Manuel Tedim e Luís Toscano. O encontro é de entrada gratuita, mas sujeito a inscrição.

Refira-se ainda que tal como nas edições anteriores, também este ano será editado um livro sobre a polifonia portuguesa com informação sobre todos os monumentos onde se realizaram os concertos do festival.

FESTIVAL INTERNACIONAL DE POLIFONIA PORTUGUESA | PROGRAMA

2 de Julho | Quinta-Feira| 21h00
Visita guiada e concerto CMCM na Igreja de Santa Maria de Landim, Famalicão

3 de Julho | Sexta-Feira| 21h00
Visita guiada e concerto CMCM com Juan Carlos Rivera na Igreja de São Francisco, Porto

4 de Julho | Sábado| 21h00
Visita guiada e concerto CMCM com Juan Carlos Rivera na Igreja do Bom Jesus, Braga

5 de Julho | Domingo| 16h00
Visita guiada e concerto CMCM na Igreja de Santa Cruz, Coimbra

9 de Julho | Quinta-Feira | 21h00
Visita guiada e concerto CMCM na Igreja de São Victor, Braga

10 de Julho | Sexta-Feira
14h30
Seminário “O Barroco e a Polifonia em Portugal”
Reitoria da Universidade do Porto
18h00
Sermões Padre António Vieira, por Luís Miguel Sintra
18h30
Visita guiada e concerto CMCM com Maurizio Croci, na Igreja de São Lourenço, Porto

11 de Julho | Sábado | 21h30
Visita guiada e concerto CMCM com Maurizio Croci, na Igreja de São Gonçalo, Amarante

12 de Julho | Domingo | 18h00
Visita guiada e concerto na Igreja de São Martinho de Tibães, Braga]]> http://www.famalicao.com/_cabecudos_cumpre_dever_com_obra_social </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=95378&h=6d9cd" width="304px" height="202px" border="0"/></p> “As pessoas deram as mãos, uniram esforços e conseguiram resultados. Foi o que aconteceu aqui em Cabeçudos com a comunidade a abraçar e a acarinhar este projeto cujas valências podemos avaliar com sucesso”. Quem o afirma é o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que ontem participou na cerimónia de inauguração e bênção do Centro Social e Cultural S. Cristóvão de Cabeçudos.

O equipamento possui as valências de creche (30 utentes), centro de ocupação de tempos livres (27 utentes) e serviço de apoio domiciliário (18 utentes), todas com a capacidade no limite, contando com um total de 11 colaboradores. A propósito, o edil famalicense afirmou que “Vila Nova de Famalicão orgulha-se de ter equipamentos para todas as crianças do ensino pré-escolar”. Por isso ressalvou: “Agora é decisivo apoiar as famílias e as instituições sociais nas suas necessidades e dinâmicas. É precisamente o que a Câmara Municipal tem vindo a fazer, resultado das circunstâncias particulares que hoje todos vivemos, no sentido de ir mais longe no apoio social em todo o concelho”.

A cerimónia contou ainda com as presenças do Diretor do Centro Distrital da Segurança Social de Braga, Rui Barreira, do pároco da freguesia, Padre Nuno Vilas Boas, do presidente da direção da instituição, João Junqueira, e ainda do autarca local, Armindo Mourão, entre outras individualidades.

Apesar de o Centro Social e Cultural estar já em funcionamento desde 2005, a inauguração ocorreu apenas no passado domingo, facto que João Junqueira, presidente da direção, justificou: “Agora que a instituição não tem dívidas e tudo funciona em pleno, podemos celebrar, sem qualquer tipo de ensombramento, a alegria do dever cumprido e olhar de frente e sem medo para o futuro”.

O Centro Social e Cultural de Cabeçudos representou um investimento de cerca de 900 mil euros, tendo recebido uma dotação de 525 mil euros do PIDDAC, um apoio financeiro de 100 mil euros do Município de Famalicão e outro de 73 mil euros do Fundo de Socorro Social. Recebeu ainda um donativo de uma família de Cabeçudos no valor de 125 mil euros.
]]> http://www.famalicao.com/_alunos_criam_bolides_em_miniatura_e_namoram_mundo_da_f1 </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=95303&h=4a424" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Os “bólides” pesam pouco mais de 50 gramas e cumprem 25 metros num segundo, sendo “ao volante” deles que 22 equipas de estudantes de todo o país vão disputar um lugar no “campeonato do mundo” de Fórmula 1 em miniatura.

Para além de “pilotos”, os alunos assumem-se também como mentores e construtores das suas próprias “máquinas”. Trata-se do projeto “F1 in Schools”, cuja final nacional vai decorrer na segunda e terça-feira, em Vila Nova de Famalicão.

Os vencedores carimbam o passaporte para a final mundial, marcada para Singapura, entre 13 e 16 de setembro, coincidindo com a data da realização do Grande Prémio de Fórmula 1 naquele país.

Rui, Alexandre, Pedro e Paulo são alunos da Escola Secundária Padre Benjamim Salgado, de Joane, Famalicão, e constituem a equipa “Inv1ctus F1 Team”, uma das que se prepara para disputar a final nacional, de olhos postos em Singapura. “É para isso que lutamos, que trabalhamos todos os dias. Estamos confiantes, pois”, refere Rui.

Como sublinham, a equipa vencedora ganha uma bolsa de estudo em Engenharia Automóvel na Universidade de Londres, “com hipóteses de, depois, entrar no mundo da F1”.
Cada equipa tem de criar o seu carro no computador, em 3D, e depois construí-lo, devendo o bólide ter um peso mínimo de 55 gramas.

Impulsionados com botijas de ar comprimido, os carros têm, na competição, de percorrer uma pista de 25 metros de comprimento no mais curto espaço de tempo possível, o que, para os melhores, significa cerca de um segundo.

A velocidade que os carros atingem é um fator com um peso importante na decisão do júri, mas não é o único, já que também são avaliados aspetos como o portfólio, o design, o stand a engenharia, o marketing e a apresentação do produto ao júri em internacional, necessariamente em inglês. “O carro mais rápido pode não ser o vencedor”, sintetizou António Paiva, o professor que tem acompanhado a atividade da “Inv1ctus F1 Team”.

O docente sublinhou a “grande abrangência” do projeto e a “tecnologia de ponta” usada na concretização do protótipo, com a ajuda de duas “startups” sediadas em Braga. As duas empresas disponibilizaram-se, sem qualquer contrapartida, a ceder o seu know-how, tecnologia e funcionários para apoiar o projeto.

O apoio foi efetivado através da conceção de avançados modelos virtuais do protótipo, integrados numa pirâmide holográfica, bem como de toda a imagem e grafismo associado à equipa.

Segundo António Paiva, esta é já a terceira participação no “F1 in Schools” daquela equipa, que nas duas participações anteriores “conseguiu sempre medalhas”. Por isso, o docente acredita que, e fazendo jus ao ditado, à terceira vez será de vez e a “Inv1ctus F1 Team” irá mesmo conseguir um lugar na final mundial. Uma fé partilhada pelos jovens pilotos Rui, Alexandre, Pedro e Paulo, que, “vendendo” confiança, se despedem com um “então já, até Singapura”.

O “F1 in Schools” é um desafio multidisciplinar, que inspira os estudantes a utilizarem novas tecnologias para a aprendizagem de física, aerodinâmica, conceção, construção, desenvolvimento de marcas, grafismo, patrocínios, marketing, trabalho de equipa/liderança, competências de comunicação e estratégia financeira.

Nesta iniciativa, estão envolvidos cerca de 40 países e mais de um milhão de alunos de 20 mil escolas.

Fonte:
LUSA
28-06-2015
]]> http://www.famalicao.com/_o_famalicense_cruzeiro_seixas_recebe_medalha_de_honra_do_municipio </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=95338&h=ec40f" width="304px" height="202px" border="0"/></p> É uma das figuras maiores do surrealismo português e, em 2012, escolheu Vila Nova de Famalicão para viver, para estar perto da sua obra que está guardada no Centro de Estudos do Surrealismo da Fundação Cupertino de Miranda. Cruzeiro Seixas que escolheu ser famalicense vai ser homenageado com a medalha de honra do município de Vila Nova de Famalicão na sessão solene comemorativa do Dia da Cidade que se assinala no próximo 9 de julho. A ocasião que é de agradecimento público a todas as pessoas que têm contribuído ao longo da sua vida para o engrandecimento da comunidade famalicense vai ficar marcada pela atribuição de galardões municipais a oito personalidades e a 15 instituições.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “o Dia da Cidade é um acontecimento repleto de simbologia, porque é um momento de demonstração da união do povo de Famalicão e exaltação da nossa identidade coletiva”.

Cruzeiro Seixas recebe o galardão maior do município pela projeção cultural e artística que trouxe a Vila Nova de Famalicão. Pintor, poeta e artista de corpo inteiro, Cruzeiro Seixas esteve ligado, desde os seus inícios, ao grupo “Os surrealistas”, ao lado de António Maria Lisboa, Mário Cesariny, Mário Henrique Leiria e Pedro Oom, entre outros. O seu percurso, marcado sempre pela vertiginosa procura de absolutos, próximo filosófica e vitalmente dos ideais próprios do surrealismo, foi consagrado com a atribuição do Prémio Artista do Ano, em 1989 e com a edição de um álbum integrando numerosos testemunhos. Em 1999 doou a totalidade da sua coleção à Fundação Cupertino de Miranda, de V. N. de Famalicão. Encontra-se representado em diversas colecções privadas e em instituições como o Museu do Chiado (Lisboa), Centro de Arte Moderna da Fundação Caloust Gulbenkian, Biblioteca Nacional, Biblioteca de Tomar, Fundação Cupertino de Miranda (V. N. de Famalicão), Museu Machado de Castro (Coimbra), Fundação António Prates (Ponte de Sor), Fundación Eugenio Granell (Galiza) ou o Museu de Castelo Branco.

Dedicam-lhe poemas Mário Cesariny, Herberto Helder, Alfredo Margarido, Mário Botas, Franklin Rosemont, José Pierre, Juan Carlos Valera, Bernardo Pinto de Almeida, Albano Martins, António Barahona, entre outros.

Em 2013, Cruzeiro Seixas foi homenageado pelo município famalicense com a atribuição do seu nome a uma das principais ruas de acesso ao Parque da Devesa, em Vila Nova de Famalicão.

Para além da homenagem a Cruzeiro Seixas destaque também para a atribuição das medalhas de mérito municipal de benemerência aos bombeiros Pedro Pimenta e Hélder Pereira pelos seus atos de coragem durante um incêndio urbano do dia 27 de abril de 2014. Depois de Hélder Pereira ter entrado na casa em chamas em busca de potenciais vítimas, Pedro Pimenta conseguiu resgatá-lo com vida. Ambos os voluntários foram já reconhecidos a nível nacional, sendo que o Pedro Pimenta recebeu o Prémio Bombeiro de Mérito 2014, pela Liga dos Bombeiros Portugueses e o Hélder Pereira foi distinguido com o louvor público da Nobre Casa de Cidadania.

Referência ainda para o reconhecimento das rádios “Cidade Hoje” e “Digital” e para o jornal “Viver a Nossa Terra” com as medalhas de mérito municipal cultural na passagem dos seus 25 anos.

A sessão solene comemorativa do 30.º aniversário da elevação de Vila Nova de Famalicão a cidade com a atribuição dos galardões municipais é um dos pontos altos das comemorações, realizando no dia 9 de Julho, a partir das 18h00, na Casa das Artes.

A anteceder a cerimónia, decorre o sarau desportivo sénior com piquenique e animação musical, entre as 10h30 e as 16h00, no Parque de Sinçães, junto à Casa das Artes. Este momento fica marcado pelo cantar coletivo dos parabéns à cidade com o respetivo bolo.

Lista Completa dos homenageados no Dia da Cidade 2015

Medalha de Honra do Município
- Mestre Cruzeiro Seixas.


Medalha de Mérito Municipal de Benemerência
- Prof.ª Doutora Maria Manuela Ferreira Pereira da Silva Martins
- Nilza Oliveira.
- Centro Social da Paróquia de Joane
- Pedro José Araújo Pimenta.
- Paulo Ricardo Lopes Pereira Couto.
- José Hélder Salazar Pereira.
- Luís Filipe Sampaio Guimarães de Abreu.


Medalha de Mérito Municipal Cultural

- Rancho Folclórico Flor do Monte
- Rancho Folclórico da Casa do Povo de Calendário
- Grupo Folclórico Danças e Cantares de Joane
- Grupo Folclórico de S. Tiago da Cruz
- Rancho Etnográfico de Ribeirão.
- Rancho Folclórico de Oliveira Santa Maria
- Rádio Cidade Hoje.
- Rádio Digital.
- Jornal Viver a Nossa Terra.

Medalha de Mérito Municipal Desportivo
- Associação de Pesca Desportiva de Ribeirão.
- Clube de Xadrez A2D.
- Casa do Povo de Nine.
- Clube Ornitológico de Famalicão.
- Jorge Rui Aguiar Tavares Bastos.

Medalha de Mérito Municipal Económico
- ATP - Associação Têxtil e Vestuário de Portugal.



]]> http://www.famalicao.com/_camara_puxa_pela_veia_artistica_dos_jovens </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=95426&h=fcaf1" width="304px" height="202px" border="0"/></p> “Uma ideia brilhante! Quem me dera ter tido esta oportunidade”. Foi desta forma que o baterista dos Expensive Soul, Sérgio Silva, classificou a nova plataforma de intervenção cultural da Casa da Juventude de Famalicão – a “Câmara Artística”. O músico esteve em Famalicão, na passada sexta-feira, para a apresentação do novo projeto do espaço jovem famalicense, que prevê a realização de um conjunto de iniciativas com vista à formação e promoção dos jovens artistas locais nas áreas da música, artes performativas, artes plásticas, fotografia e escrita.

Uma nova plataforma que, como explica o vereador para Juventude da autarquia, Mário Passos, pretende “alavancar novos projetos artísticos e promover os jovens artistas locais, oferecendo-lhes todas as condições para que possam mostrar a sua arte”.

É o caso da Escola de Instrumentos Musicais Portugueses, um dos vários projetos inseridos no âmbito da Câmara Artística, e que a partir do próximo ano letivo dará a conhecer aos jovens formandos alguns dos instrumentos mais conhecidos da música tradicional portuguesa, como a viola braguesa, cavaquinho, bandolim, bombos, adufes, pandeiretas e concertinas. “Uma forma de preservar o legado cultural do país, aliando a sua sonoridade e tradição a outros estilos e ritmos mais contemporâneos”, explica Mário Passos.

As matrículas para a Escola de Instrumentos Musicais Portugueses estão abertas até 30 de setembro e poderão ser feitas online em www.juventudefamalicao.org ou na Casa da Juventude, mediante preenchimento de formulário próprio.

A Câmara Artística, como plataforma de intervenção artística, irá valer-se, essencialmente, dos espaços disponíveis na Casa da Juventude, nomeadamente as salas multiusos e auditório para workshops, exposições e ensaios abertos, a Plataforma de Intervenção Cultural (PIC) para manifestações artísticas de natureza diversa, e ainda dois novos espaços dedicados à produção e criação artística: o estúdio de gravação/sala de ensaios e o laboratório de fotografia analógica que foram inaugurados sexta-feira, estando desde então à disposição dos jovens famalicenses.

Refira-se ainda que a Câmara Artística contempla diversas áreas artísticas, nomeadamente através da música, das artes performativas (teatro, teatro musical, dança, artes circenses), das artes plásticas (escultura, pintura, desenho, arquitetura, multimédia), da fotografia (analógica e digital) & cinema e da escrita (poesia, escrita criativa, contos, guiões, ficção).

Mais informações sobre a Câmara Artística aqui
]]>