Este domínio está à venda. This domain is for sale.

Faça uma oferta em baixo. Make an offer below.

Feedback

Inclua um contacto de e-mail se pretender ser contactado. Please include your e-mail contact information if you'd like to receive a reply.

Enviar
Município de Famalicão: Notícias e Informações Úteis http://www.famalicao.com Últimas 10 notícias 15 asdad asdasd dasdad http://www.famalicao.com/_tecnologia_led_chega_aos_parques_e_pracas_de_famalicao </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=106478&h=7e6c6" width="303px" height="202px" border="0"/></p> A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão está a instalar lâmpadas do tipo LED em mais de uma dezena de parques e praças do concelho. O anúncio foi feito ontem, quinta-feira, 29 de setembro, pelo vereador da Eficiência Energética da autarquia, José Santos, no encerramento do seminário “Eficiência Energética – Perspetivas e Oportunidades”, que decorreu na Casa das Artes, no âmbito da 2.ª edição do programa “Famalicão Visão 25”.

A medida implica um investimento na ordem dos 67 mil euros e segundo o responsável autárquico permitirá uma poupança anual de 25 mil euros para os cofres da autarquia.

“Esta é uma das várias medidas que a Câmara Municipal está neste momento a desenvolver ao nível da eficiência energética e que vai permitir à autarquia reforçar o esforço que tem vindo a ser feito no sentido de reduzir os custos relacionados com a iluminação pública”, referiu José Santos.

Refira-se que nesta fase vão ser adaptados para tecnologia LED 308 pontos de iluminação pública.

Os trabalhos estão já concluídos no parque da Praça D. Maria II, Parque 1.º de Maio e na Praça 9 de Abril. Seguem-se agora o Parque de Sinçães, Parque da Juventude e Parque do Edifício Tuya, as Praças Madalena Fonseca, Silvério Freitas e Narciso Ferreira, em Famalicão, e ainda o Parque 3 de Julho, em Joane, e o Largo da Igreja de Fradelos, cuja substituição deverá estar finalizada até meados de outubro.
]]> http://www.famalicao.com/_pedro_cabrita_reis_mostra_ridi_pagliaccio_na_ala_da_frente </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=106407&h=55124" width="272px" height="202px" border="0"/></p> É com a obra de um dos artistas mais conhecidos da atualidade que a galeria de arte contemporânea Ala da Frente, em Vila Nova de Famalicão, vai terminar o ano de 2016. A exposição “Ridi Pagliaccio” de Pedro Cabrita Reis é a proposta do espaço cultural para os próximos meses e estará patente ao público a partir de 15 de outubro.

No total são 25 as obras que compõem esta mostra, “onde o desenho e a fotografia nos dão uma forma muito peculiar da figura de Cabrita Reis e onde somos levados a encontrar o seu universo mais particular através de uma ação plástica muito cuidada”, refere António Gonçalves, curador da Ala da Frente.

Sobre os trabalhos apresentados nesta exposição, que poderão ser apreciados de forma livre e gratuita até 21 de janeiro do próximo ano, o responsável explica ainda que “há um pretexto lançado por cada imagem fotográfica e uma resposta do desenho, da tinta, da mancha, para fazer o corpo da obra existir”.

Pedro Cabrita Reis nasceu em Lisboa em 1956, cidade onde atualmente vive e trabalha. Com reconhecimento internacional consolidado, o seu trabalho tornou-se crucial para o entendimento da escultura a partir de meados da década de 80. A sua complexa obra, caracterizada por um idiossincrático discurso filosófico e poético, engloba uma grande variedade de meios: pintura, escultura, fotografia, desenho e instalações compostas de materiais encontrados e de objetos manufaturados, “com um cuidado e empenhado labor que lhe tem permitido apresentar obras de grande singularidade e de forte referência”, refere António Gonçalves. E acrescenta: “os materiais que usa e a forma como os compõe nas suas obras, provocam-nos uma atenção particular, são detentores de uma poética original”.

Cabrita Reis conta com exposições individuais nas maiores galerias nacionais e internacionais e com obras presentes em importantes coleções - Fundação EDP, Fundação Serralves, Calouste Gulbenkian, Tate Modern - e nas maiores feiras e bienais de arte, como é o caso da Bienal de Veneza e de São Paulo.

Recorde-se que a Galeria Municipal “Ala da Frente”, assim chamada pelo facto da sala de exposição se encontrar na ala da frente do Palacete Barão da Trovisqueira, e por referência à contemporaneidade e vanguardismo associados ao espaço, foi inaugurada em 30 de maio de 2015, tendo iniciado o seu percurso com uma exposição de obras de Jorge Molder. Seguiu-se Rui Chafes, o vencedor do Prémio Pessoa 2015, com a mostra “Exúvia”, e José Pedro Croft, com “Prova de Estado”.

FICHA TÉCNICA
Título da exposição: "Ridi Pagliaccio"
Autor: Pedro Cabrita Reis
Data: 15 de outubro de 2016 a 21 de janeiro 2017
Horário: Terça a Sexta das 10h00 às 17h30. Sábado e Domingo das 14h30 às 17h30.
Encerra aos feriados.
Entrada: Gratuita

]]> http://www.famalicao.com/_dia_do_concelho_celebrado_sob_o_signo_da_coesao_e_do_empreendedorismo </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=106417&h=039d6" width="302px" height="202px" border="0"/></p> 15 empresas ou instituições.As hortas adaptadas a pessoas com deficiências e incapacidades, criadas pelo Centro Social e Paroquial de Ribeirão, e as peúgas com tratamento antibacteriano, apresentadas pela empresa “Peúgas Carlos Maia”, são dois exemplos de ação visionária, que o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, premiou esta quarta-feira, 29 de setembro, no âmbito das comemorações do Dia do Concelho. Estes dois exemplos fazem parte de um rol de 15 projetos vencedores considerados como “um farol a seguir para o futuro do concelho”. Todos eles foram galardoados com um selo de excelência Famalicão Visão’25, durante uma cerimónia que decorreu junto aos jardins dos Paços do Concelho e contou com a presença de autarcas, responsáveis pelas associações e instituições do concelho, diretores de agrupamentos de escolas e um vasto conjunto de pessoas, que fazem parte das forças vivas de Famalicão.
Os selos Famalicão Visão’25 materializam-se num símbolo de excelência, identificando as iniciativas, ações e projetos que expressam e estimulam os valores da comunidade e a identidade famalicense, em harmonia com o Plano Estratégico de Famalicão. No fundo, reconhecem as boas práticas de empresas, instituições e associações com impactos assinaláveis no território, na economia e na sociedade. A atribuição de selos dividiu-se em quatro categorias: Famalicão Made IN que distinguiu sete projetos; B-Smart Famalicão que premiou quatro projetos e Força V - Famalicão Voluntário e Famalicão Comunitário que galardoaram dois projetos cada.
Neste final de dia de outono, que mais parecia de verão, o cenário foi perfeito para enaltecer o concelho de Vila Nova de Famalicão, representado pelas suas freguesias e pelas suas gentes. Paulo Cunha relembrou o “ato fundador de enorme relevo” do concelho que unia todos os presentes, assinalando que “quando em 1835, António Ribeiro Queiroz Moreira liderou uma comissão instaladora composta por sete famalicenses que tinham a missão de concretizar a proclamação da rainha D. Maria II e criar o concelho de Famalicão, aquilo que estes sete famalicenses fizeram foi o embrião do que nós 181 anos depois queremos que continue a ser o nosso concelho”. E sublinhou: “Um concelho composto por 49 comunidades, coeso e equilibrado, onde não existam diferenças entre o centro e a periferia e onde todas as pessoas possam usufruir das mesmas condições para concretização dos seus projetos”.
Para o autarca “o ato instituidor do concelho que a cada ano queremos lembrar serve muito mais do que para fazer uma referência ao passado, serve para lançarmos o futuro”. Assim, ficou desde logo instituído que a entrega dos próximos Selos Famalicão Visão’25 irá decorrer no Dia do Concelho 2017. Ficou ainda estipulado que as comemorações do Dia do Concelho serão itinerantes ditando o sorteio que a próxima freguesia a acolher a cerimónia será Pedome.
“A construção de uma comunidade nunca dependerá de um homem só e o progresso deste concelho não irá depender só da Câmara Municipal, dependerá de Famalicão e dos famalicenses”, salientou ainda Paulo Cunha.

OS PROJETOS VENCEDORES

A atribuição de Selos Famalicão Visão’25 terá continuidade pelo menos até 2025 sendo que as candidaturas do próximo ano já estão abertas e decorrem até final de maio de 2017. 
No que se refere aos vencedores deste ano, das 34 candidaturas recebidas, 15 foram selecionadas por um júri externo. Destaque para a categoria Famalicão Made IN que distinguiu sete projetos, nomeadamente as peúgas com tratamento antibacteriano da empresa Peúgas Carlos Maia; o Colégio Bilingue – 1º Ciclo da Mundos de Vida; o projeto Injex – de 2013 a 2019’ da empresa Pinheiro de Lacerda, o II – Plano de Internacionalização Sustentável da Marjomotex II – Confeções; o projeto NETT – Novas Empresas Tecnológicas Têxteis do CITEVE - Centro Tecnológico Têxtil e Vestuário; o projeto de internacionalização da marca âme moi da empresa AMBLV Acessórios de Luxo e ainda o projeto Wingsys Versão 2.0 da Famasete.
No que diz respeito à B-Smart Famalicão, foram premiados as ações do Bgreen / Ecological Film Festival’ da Oficina - Instituto Nun'Alvres; a Feira de Produtos da Terra da Comissão Social Inter-Freguesias do Vale do Este; as Hortas Acessíveis do Centro Social Paroquial de Ribeirão e Projeto SER – Sempre em Reabilitação do Centro Social e Cultural S. Pedro de Bairro.
No âmbito da Força V - Famalicão Voluntário, os selos distinguiram o Núcleo Re-food de Vila Nova de Famalicão da organização Re-food 4G e o projeto Time4U – Bolsa de Voluntariado e Participação Ativa Juvenil da associação YUPI – Youth Union of People With Initiative.
Por fim, na categoria Famalicão Comunitário foram reconhecidos o projeto CEVE Solidária da Cooperativa Elétrica do Vale do Este, pelo seu papel de desenvolvimento de serviço comunitário de excelência e de governação amigável para os cidadãos e ainda o projeto de Requalificação da Escola Básica de Arnoso Santa Eulália da Associação de Pais e Encarregados de Educação da EB Quintão e Jardim de Infância Mosteiro – Arnoso Santa Eulália pelo seu papel de serviço comunitário exemplar, ascendendo a um novo patamar na participação cívica.
]]> http://www.famalicao.com/_famalicao_e_santo_tirso_promovem_patrimonio_organeiro_historico_com_ciclo_de_concertos </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=106347&h=28712" width="284px" height="202px" border="0"/></p> Vila Nova de Famalicão e Santo Tirso acolhem, entre 7 e 16 de outubro, o II Ciclo de Concertos de Órgão. A iniciativa é promovida pela Associação Cultural Tagus Atlanticus, com o apoio das duas autarquias, e vai decorrer nas igrejas matrizes de Calendário (dia 7), Bairro (dia 8) e Ribeirão (dia 9), no concelho de Famalicão. Em Santo Tirso, os concertos animam as igrejas de Roriz (dia 14); Burgães (dia 15) e Santo Tirso (dia 16).

De acordo com o diretor artístico, Marco Brescia, a iniciativa tem como objetivo principal “a valorização do património organeiro histórico dos concelhos de Vila Nova de Famalicão e Santo Tirso, quer na sua vertente material, quer imaterial”, sendo que esta edição visa “a música de qualidade interpretada por artistas nacionais e estrangeiros, dando ao público a oportunidade de assistir às atuações de excelência de nomes consagrados ao lado de jovens músicos de inegável valor em franca afirmação no panorama artístico-musical”.

Para o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, a realização da II edição do Ciclo de Concertos de Órgãos é uma “excelente notícia” porque para além “dos créditos assegurados quanto à qualidade da sua programação e excelência dos músicos é um evento que vem enriquecer a oferta cultural da região, contribuindo ao mesmo tempo, para a valorização do património organístico, um precioso legado histórico que importa salvaguardar e divulgar cada vez mais”.

O evento conta com os seguintes convidados: Paulo Bernardino (órgão); Marco Brescia (órgão); Il Combattimento (ensemble barroco); Veronica Febbi (harpa barroca); José Luis González Uriol (órgão); Tomoko Matsuoka (órgão e contínuo); Rosana Orsini (soprano); Guilhermo Turina (violoncelo barroco) e João Vaz (órgão).

Refira-se que a primeira edição do Ciclo de Concertos de Órgãos decorreu no ano passado tendo-se revelado um êxito.

]]> http://www.famalicao.com/_ricardo_pereira_estreiase_na_casa_das_artes_com_comedia_do_outro_mundo </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=106354&h=6a58f" width="269px" height="202px" border="0"/></p> À Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão chega em outubro uma história do outro mundo. A peculiar e divertida história de Deus que, muito deprimido, resolve recorrer à ajuda de uma psicóloga. Trata-se da peça “Meu Deus”, com Ricardo Pereira e Irene Ravache na interpretação, o principal destaque da programação do próximo mês do espaço cultural famalicense. Em cartaz, outubro traz ainda a música dos “You Can’t Win, Charlie Brown” e cinema, muito cinema.

Da autoria da dramaturga israelita Anat Gov, “Meu Deus” é um texto espirituoso, com diálogos ágeis e muito atuais, mesmo que aparentemente improváveis. Depois do sucesso alcançado nos mais diversos países por onde já foi encenada, a peça prepara-se agora para subir ao palco do grande auditório da Casa das Artes, de 13 a 16 de outubro.

“Por mais fantasiosa que a história possa parecer, plateias do mundo inteiro acreditam e envolvem-se – o público surpreende-se, ri, compactua e emociona-se com este turbilhão de desentendimentos que Deus (Ricardo Pereira) vai gerar na vida da psicóloga Ana (Irene Ravache),na relação desta com o seu filho (José Lobo), um autista já adulto com quem Ana mantém uma relação especialmente emocional, e sobretudo na vida de todos os que assistam a este improvável e inusitado encontro”.

Nos dias 30 de setembro (15h00 e 17h00) e 1 de outubro (21h00), a Casa das Artes vai assinalar o Dia Mundial da Música com “O Segredo da Floresta”, um espetáculo de música infantil que resulta de uma coprodução entre a ArtEduca e o espaço cultural famalicense. A entrada é livre, sujeita à lotação da sala, sendo necessário o levantamento de bilhete.

Destaque ainda para a atuação, no dia 22, dos “You Can’t Win, Charlie Brown”. Formada em 2009, a banda de Afonso Cabral, Salvador Menezes, Luís Costa, David Santos, Tomás Franco de Sousa e João Gil prepara-se para apresentar em Famalicão o seu terceiro disco de originais (“Marrow”), com uma sonoridade mais elétrica e dançável.

Para outubro está também marcada a estreia do Observatório de Cinema de Vila Nova de Famalicão, o Close-Up, que se apresenta ao público entre 27 e 30 de outubro. Com uma programação intensa e eclética, o Close-Up conta com a realização de 25 sessões comentadas de cinema contemporâneo e com trilhos pela história do cinema, sessões para escolas e para famílias, debates, instalações e ainda muita música.

Do rol de comentadores convidados, destaque para as presenças da jornalista Clara Ferreira Alves, do poeta, critico e cronista Pedro Mexia, do diretor e programador do Indie Lisboa, Nuno Sena, do crítico de cinema, Vasco Câmara e dos realizadores dos filmes a exibir.

Por fim, e ainda no cinema, destaque para a habitual programação dedicada à sétima arte promovida pela Casa das Artes em parceria com o Cineclube de Joane. “Milagre no Rio Hudson” de Clint Eastwood, no dia 8 de outubro, e “O Clube” de Pablo Larraín, no dia 6, são alguns dos filmes em exibição.

Mais informações no site oficial da Casa das Artes de Famalicão. ]]> http://www.famalicao.com/_pensadores_mundiais_atentos_as_raias_poeticas </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=106400&h=9a421" width="302px" height="202px" border="0"/></p> Com a curadoria do escritor e pensador Luís Serguilha, as 5.ªs Raias Poéticas decorrerão, nos dias 7 e 8 de outubro, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, afirmando-se sempre como ocasião de "afluentes Ibero-Afro-Americanos de Arte e Pensamento".

O curador dá conta que as Raias levam o nome de Vila Nova de Famalicão a todo o mundo, pelo menos do dos pensadores, já que é nesta cidade que, uma vez por ano, nos últimos cinco anos, têm ocasião de criarem ou estreitarem uma rede de vanguarda mundial.

"As pessoas que participam nas Raias Poéticas fazem-no de forma gratuita e são elas mesmas que pagam as suas viagens", indicou o responsável da organização na conferência de imprensa de apresentação do encontro.

"Porquê preferirem vir cá e não irem a outras iniciativas promovidas por grandes editoras? Porque estas pessoas procuram novos campos de pensamento e prescindem do que já se tornou massificado e vulgar", salientou Luís Serguilha.

"E, mesmo assim, são muitos os que se espantam com o facto de ser em Famalicão que está focalizado este evento e não num grande centro como Lisboa ou Porto", acrescentou, indicando que "Famalicão contribuiu para a destruição da banalização do pensamento".

Durante os dois dias, dezenas de pensadores, maioritariamente, escritores e autores artísticos encontram-se numa mão de mesas redondas que Luís Serguilha aponta designarem-se de “dobras” porque estão «na dobra do pensamento» e que são conduzidas por personalidades que, aqui, não são chamadas de moderadores mas de «surfistas», porque "agem como um surfista num mar gigante de pensamento que não pode ser nunca domado", explicou o curador.


Texto retirado da edição de 28-09-2016 do jornal Diário do Minho
Autor: Álvaro Magalhães
]]> http://www.famalicao.com/_expensive_soul_vem_a_famalicao_motivar_estudantes </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=106334&h=64245" width="269px" height="202px" border="0"/></p> Os Expensive Soul vão dar as boas vindas aos estudantes de Vila Nova de Famalicão. O duo português Demo (MC) e New Max (cantor/produtor) é cabeça de cartaz do Off Summer Fest´16, uma iniciativa particularmente dirigida para a juventude famalicense que assinala o fim das férias e o começo do novo ano escolar. O concerto tem lugar no auditório ao ar livre do Parque da Devesa, no dia 7 de outubro, pelas 21h00, e é de entrada livre.

Com uma sonoridade que vai desde o soul e o reggae ao R&B e hip-hop, os Expensive Soul destacam-se pelo facto de serem o primeiro grupo em Portugal de matriz hip-hop/soul com banda ao vivo, a Jaguar Band. Foram nomeados para o Best Portuguese Act, dos MTV EMA, em 2006 e 2011, e em 2016, inovaram ao editar o seu registo "Ao Vivo Nos Coliseus" em formato "pen", em vez do habitual CD.

Para além dos Expensive Soul, o Off Summer Fest´16 conta ainda com All In Dj (19h30), Meninos da Vadiagem (22h30) e Alive DJ set (00h00).

O evento é uma iniciativa dos pelouros da Juventude e Educação do Município de Famalicão e vem na sequência de um conjunto de ações desenvolvidas pelo executivo autárquico para estimular o envolvimento dos jovens para com o seu território e para elevar a sua satisfação em pertencer-lhe.

“Queremos que os jovens gostem cada vez mais de viver em Vila Nova de Famalicão e para isso procuramos dar-lhes as melhores condições para estudarem, mas também os indispensáveis espaços para se divertirem e para se enriquecerem culturalmente”, assinala o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que reconhece que “o desenvolvimento de uma cidadania ativa não está dissociado do nível de satisfação dos jovens com o seu meio”.
]]> http://www.famalicao.com/_dia_do_concelho_premeia_visao_de_futuro </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=106298&h=d9af1" width="304px" height="202px" border="0"/></p> Eram três horas da tarde do dia 28 de setembro de 1835 quando António Ribeiro de Queiroz Moreira deu início, na velha e nobre Casa do Paço, à primeira reunião da Comissão Municipal fundadora do Concelho de Vila Nova de Famalicão, que abriu e definiu os destinos à terra de Vila Nova. A Casa do Paço, no lugar do terreiro, adiante Praça da Mota, hoje Praça 9 de Abril, já não existe, mas o município de Vila Nova de Famalicão, esse, está como porventura os seus fundadores seriam incapazes de imaginar, sendo um dos maiores e empreendedores municípios portugueses.

É este acto fundador e inspirador que o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, quer que ilumine e inspire por muitos anos os famalicenses. Por isso, a partir deste ano, o Dia do Concelho será celebrado com uma Sessão Solene que faz justiça à História de Vila Nova de Famalicão, mas que ao mesmo tempo atualiza as intenções dos sete cidadãos famalicenses que, em 1835 concorreram para a criação do concelho, lançando os alicerces do futuro.

É este o contexto que está na base da cerimónia que vai acontecer nesta quarta-feira , 28 de setembro, pelas 18h30, nos Paços do Concelho, e onde serão entregues os primeiros selos Famalicão – Visão 25 que identificam e reconhecem os projetos e ações de empresas e instituições com impactos assinaláveis no território, na economia e na sociedade, cujo carácter inovador e inspirador expressam os valores e reforçam a identidade famalicense, impulsionam o crescimento inteligente, sustentável e inclusivo e promovem a afirmação territorial do concelho de Vila Nova de Famalicão a nível local, nacional e global.

É pois uma iniciativa a olhar essencialmente para o futuro aquela que vai acontecer em Famalicão na próxima quarta-feira, alinhada com as diretrizes do Plano Estratégico de Vila Nova de Famalicão que aponta para o desenvolvimento de um concelho externamente reconhecido como uma sociedade coesa e solidária, com uma elevada performance da sua economia de produção ao nível das exportações e com elevada incorporação tecnológica, integrado em redes globais coletivas, em convivência com uma paisagem urbano-rural hipocarbónica, ambientalmente qualificada e única.
A cerimónia realiza-se no exterior dos Paços do Concelho, sendo aberta à participação de todos os cidadãos.
]]> http://www.famalicao.com/_casa_de_camilo_assinala_150_anos_de_a_queda_dum_anjo_com_edicao_em_mirandes </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=106309&h=08f3e" width="148px" height="202px" border="0"/></p> Cento e cinquenta anos depois do lançamento da primeira edição de “A Queda dum Anjo” de Camilo Castelo Branco, a obra foi traduzida em língua mirandesa, por Alfredo Cameirão, e vai ser apresentada na Biblioteca da Assembleia da República. É esta a grande homenagem da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e da Casa de Camilo a “Calisto Elói de Silos e Benevides de Barbuda, morgado da Agra de Freimas, nascido em 1815, na aldeia de Caçarelhos, termo de Miranda”, o herói deste romance satírico de Camilo. A iniciativa insere-se no programa da 3.ª edição dos Encontros Camilianos de São Miguel de Seide, que vai realizar-se a 7, 8, 15 e 18 de outubro, em Vila Nova de Famalicão, Caçarelhos em Vimioso, Miranda do Douro e Lisboa.

Considerada a mais atual e moderna obra de Camilo Castelo Branco, “A Queda dum Anjo” descreve de maneira caricatural a vida social e política portuguesa, através de uma parábola humorística na qual o protagonista, Calisto, um fidalgo austero e conservador, encarna de maneira satírica o povo português. Ao ser eleito deputado, Calisto vai para Lisboa, onde se deixa corromper pelo luxo e pelo prazer que imperam na capital.

“A Queda dum Anjo” dá assim o mote para mais uma edição dos Encontros Camilianos, que este ano se estendem ao longo de quatro dias, e em quatro localidades.

Do vasto e diversificado programa destaque ainda para a entrega do Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco à escritora Teresa Veiga e para a apresentação das obras “As Aventuras de Basílio Fernandes Enxertado e Coração, Cabeça e Estômago”, da editora Glaciar, por João Paulo Braga, Jorge Reis Sá e Sérgio Guimarães de Sousa. A abertura dos encontros ficará também marcada pela apresentação do carimbo do dia dos CTT, evocativo dos 150 anos da primeira edição de “A Queda de um Anjo”.

Ao todo, a iniciativa conta com quatro painéis e cerca de dez temas a debate. No dia 15 de outubro, será realizada uma visita a Caçarelhos e Miranda do Douro, cenários do romance camiliano, onde será apresentada a obra em mirandês. No dia 18, os participantes dos Encontros Camilianos serão convidados para uma visita a Lisboa, onde para além de um roteiro camiliano, se realizará uma mesa redonda com Francisco José Viegas e Pedro Mexia sob o tema “A atualidade d’A Queda dum Anjo, de Camilo Castelo Branco”. Depois de uma visita ao Palácio de Belém, a versão da obra em mirandês será apresentada na Biblioteca da Assembleia da República. Uma peça de teatro, uma exposição e uma feira do livro camiliano encerram o programa.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha “esta 3.ª edição dos Encontros Camilianos apresentam um programa bastante atrativo e ambicioso, perseguindo o objetivo de promover o debate e a reflexão interdisciplinar em torno das temáticas camilianas, contribuindo, assim, para a melhor divulgação da vida e da obra de Camilo Castelo Branco e para sedimentar a sua política de intervenção cultural e científica a favor da Língua e da Cultura portuguesas.”

De referir ainda que parte científica do programa conta com a participação de especialistas nacionais e estrangeiros na temática camiliana, que se debruçarão sobre a obra do romancista, e particularmente sobre A Queda dum Anjo, numa variedade de perspetivas por ela suscitada.

Programa e inscrições clique aqui
]]> http://www.famalicao.com/_famalicao_cada_vez_mais_forte_nas_exportacoes </p><img src="http://www.famalicao.com/op/image/?co=106273&h=032c4" width="302px" height="202px" border="0"/></p> Os primeiros indicadores relativamente às exportações das empresas famalicenses apontam para uma excelente notícia: Vila Nova de Famalicão vai reforçar o volume total de vendas para o exterior, com previsões de 1,9 mil milhões de euros, impondo-se ainda mais como terceiro concelho mais exportador de Portugal.

A revelação foi avançada pelo Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, na conferência “Des(a)fiar o Tempo da Indústria: Poderes e Território”, que decorreu ao longo deste sábado, 24 de setembro, no CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário, e que contou com a presença do Ministro da Economia. Caldeira Cabral foi também ele porta-voz de novidades, anunciando que o Governo vai reforçar, ainda este ano, os apoios aos centros tecnológicos do país.

No caso das exportações famalicenses, em causa está um incremento de 8% em 2015 face a 2014, novamente superior à média nacional, atestando ainda a tendência de crescimento verificada já desde 2012. “É um salto enorme”, expressou Paulo Cunha, salientando que Vila Nova de Famalicão “é assim, pela sua vocação exportadora, um contribuinte líquido, genuíno e construtivo do país”.

Aproveitando a presença de Caldeira Cabral, o autarca deixou ainda, na intervenção de abertura desta conferência, uma referência ao Centro de Competências do Agroalimentar para o Sector das Carnes. Paulo Cunha reafirmou a ambição do município por este projeto que classifica como de dimensão nacional e vocação internacional. “Senhor Ministro, é um centro de competências de nova geração, que tem como missão potenciar o aumento da competitividade e a inovação das empresas da fileira, aproveitando a forte capacidade instalada, sem precisar de uma infraestrutura física”, lembrou.

A propósito, o governante, no anúncio ao reforço dos apoios aos centros tecnológicos, disse esperar que também o centro de competências do agroalimentar “possa beneficiar deste programa”.

Caldeira Cabral deixou um elogio à dinâmica empresarial e industrial do concelho que considerou servir de “exemplo para o país”. “Um bom exemplo de indústria moderna, diversificação, investimento direto estrangeiro e de acolhimento de investimento direto português”, retratou, enaltecendo ainda o papel da Câmara Municipal no apoio às empresas e aos industriais.
]]>